Desporto 08 junho 2015
O barco não tem vela ou motor | Foto: Sonya Baumstein/Facebook

De Choshi, no Japão, a São Francisco, nos Estados Unidos. Se correr bem, a aventura de Sonya Baumstein, de 29 anos, deverá terminar em setembro.

Não é a primeira vez que a norte-americana Sonya Baumstein se mete em aventuras. A jovem atleta da Flórida já atravessou a remar o oceano Atlântico, em 2012, quando tinha apenas 26 anos. Demorou 57 dias a percorrer a distância entre as ilhas Canárias e Barbados, nas Caraíbas.

Desta vez, Sonya decidiu ir um pouco mais longe. Quer ser a primeira mulher a realizar um feito que já três aventureiros do sexo masculino lograram: atravessar o Pacífico, sozinha, num barco a remo.

São, nada mais nada menos, do que 9600 quilómetros. Se tudo correr como previsto, Sonya deverá chegar a São Francisco (Estados Unidos) em finais de setembro. Daqui a quase quatro meses, portanto.

Durante esse tempo, estará acompanhada apenas pelo mar, pelo sol e pelas estrelas no barco verde claro que foi desenhado propositadamente para ela, sem motor ou vela, e batizado como “Icha” (um ditado japonês segundo o qual “uma vez que nos encontramos somos família”).
 
O seu isolamento absoluto será apenas quebrado pelas ligações via satélite que estabelecerá por telefone com a equipa de aconselhamento que a seguirá em terra.

No barco leva cerca de 500 quilos de comida seca para sobreviver ao longo dos próximos meses, em que seguirá um plano nutricional rigoroso, rico em calorias, delineado a pensar no enorme esforço físico que a viagem vai implicar. Sobrou pouco espaço para roupa (na foto acima, está toda a que leva consigo).

A expedição tem também fins ambientais. Sonya vai recolher dados sobre a temperatura e a salinidade da água ao longo da viagem, que ajudarão a validar algumas ferramentas de pesquisa oceanográficas desenvolvidas para a NASA.

Podes acompanhar a viagem na sua conta de Twitter (Twitter.com/sbaum) ou no site oficial.

e-max.it: your social media marketing partner
Voltar